Bordel nosso de cada dia

Bem-vindo e sempre bem acolhido,
coração despeçado e em labuta,
aqui onde és sempre querido,
pela melhor mulher, a puta

Aqui onde a vida é sempre boa,
e o prazer é pelo tempo inteiro,
isto é, até a ligação da patroa,
ou até o final do seu dinheiro

E como são astutas,
sim, as próprias putas,
E como vendem essa ilusão,
Sim, o sentimento de paixão

E logo, de volta a rotina querida,
O dia nasce e renascem labutas
Por que é disto que é feita a vida,
lamentos e lutas, tormentos e putas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *